Hoje, 27 de fevereiro, celebramos os 113 anos do nascimento de Lúcio Marçal Ferreira Ribeiro Lima Costa, ou simplesmente LucioCosta, um dos maiores nomes a arquitetura brasileira.


Nascido em Toulon, na França, educado na Inglaterra e Suíça, Lucio Costa graduou-se pela Escola Nacional de Belas Artes aos 22 anos e tornou-se um dos precursores do modernismo brasileiro na arquitetura.
Talentoso e polêmico, Lucio Costa tinha personalidade forte e pensava a arquitetura de forma muito particular. Dividiu com Oscar Niemeyer a autoria de Brasília, reconhecida mundialmente como um monumento ao modernismo.


Ocupou cargos e comissionamentos importantes no Ministério da Educação e Saúde do Rio de Janeiro e no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que dirigiu até se aposentar-se e onde realizou um detalhado trabalho de documentação do patrimônio arquitetônico brasileiro.



Lucio Costa faleceu no Rio de Janeiro, em 13 de junho de 1998.





0

Elevadas à posição de verdadeiras obras de arte, cadeiras assinadas por designers famosos fazem toda a diferença em um ambiente sofisticado, elegante e que demonstram o seu interesse por artes e design.
Investir peças assinadas é também um bom negócio. Se forem originais, elas valorizam ainda mais com o passar do tempo. Mas se você não pretende investir muito dinheiro, há cópias autorizadas no mercado de diversos modelos. Elas são mais acessíveis e possibilitam um resultado mais divertido à decoração.
No Pinterest tenho uma pasta chamada Chairs, com cadeiras postadas aqui no blog sob a hashtag #ParaNossaColecao.
Se você curte design, essa é uma boa pasta para seguir.


1 - Oak 'Pyramid' Lounge Chair, do designer Poul Volther, década de 50


2 - Experimental Lounge Chair, da dupla Charles and Ray Eames, 1944


3 - Emporia Chair, toda em bronze, do designer Wendell Castle, 2008









0

A Casa Vogue Brasil elegeu o 10 melhores expositores da IMM Cologne, que aconteceu em janeiro na Alemanha.
A IMM é uma das mais importantes feiras no segmento de design e funciona como um preview do iSaloni de Milão, apontando as principais tendências em mobiliário e acessórios para decoração.
Entre os favoritos da Vogue:
O retrô inspirador da italiana Baxter, com estampas belíssimas e não apenas nos tecidos mas também na madeira.





A francesa Ligne Roset mostrou sua parceria com designers como Pagnon & Pelhaitre, Inga Sempé e Christian Werner. Uma coleção completíssima de mobiliário, incluindo acessórios como vasos e luminárias. Cartela de cores mais suaves para elegantes combinações com o branco e o cinza. Muitos detalhes metálicos.




A portuguesa Mambo Unlimited Ideas, que é uma das marcas mais badaladas da atualidade, trouxe muita cor e toques retrô resgatando os aramados.



A grife dinamarquesa Richard Lampert ampliou a coleção Famille Garage, de mobiliário infantil, criada originalmente em 2010 pelo designer Alexander Seifried. Entre as novidades, a cama, o berço e a cômoda/trocador.



A alemã Rolf Benz é uma marca forte em toda a Europa e mistura o tradicional ao lifestyle contemporâneo com muita competência. O sofá com estrutura flexível, permite que o usuário ajuste encosto e assento para sentar ou deitar.




Após 15 anos de ausência na IMM, a espanhola Sancal voltou a expor na feira e apresentou uma inovadora banqueta chamada Perigallo. A marca está presente em praticamente todo o planeta e a banqueta é um tripé dobrável com topo estofado, confortável e muito prática.


A também dinamarquesa Softline Mais é outra marca que buscou inspiração no design dos anos 1950/60/70. A coleção de estofados com padronagens criadas a partir da trama do tecido que acrescentam mais textura às peças.




O destaque especial da IMM 2015 ficou mesmo para o stand conceitual Das Haus que, desde 2012, tem a função de resumir as tendências de design. A cada edição o espaço é entrege a um profissional criativo de destaque. Este ano coube à dupla chinesa Neri & Hu ocupar os 240 m² do stand. A construção contou com uma plataforma de madeira elevada que permitia aos visitantes ver os espaços do alto, de uma perspectiva completamente diferente e inovadora. A casa foi dividida em cinco áreas, espalhadas ao redor de um salão principal: Room For Reading, Room For Living, Room For Sleeping, Room For Eating e Room For Bathing.










Fotos: Casa Vogue Brasil
0

Nós adoramos idéias criativas e reciclagem. E aquelas garrafas vazias, que sentimos até pena em jogar fora, podem virar belas peças decorativas com um pouco de criatividade.
Um bom exemplo são essas garrafas revestidas com chita, com linha de crochê, coador de papel para café usados e com miçangas.
Além de dar um toque super personalizado à qualquer ambiente tem aquele gostinho do "fui eu que fiz".
Crie a sua, fotografe e envie para postarmos no Instagram.







0

Pequenos espaços residenciais e comerciais são o grande desafio tanto para quem os utiliza quanto para quem decora. E quando se trata de imóveis locados há ainda a preocupação com soluções mais flexíveis e econômicas, principalmente na hora de mudar.




Vários designers têm dedicado muito de seus talentos e esforços para criar opções para a cozinha, fugindo dos tradicionais móveis planejados. A mini-cozinha LO-LO assinada pelos designers Repina Tanya e Misha Repin é uma dessas brilhantes ideias adequadas à realidade e ao estilo contemporâneo.

São divertidas capsulas de madeira que lembram o chocolate LoLo e disponíveis em dois tamanhos, porém com uma enorme diversidade de configurações e cores, adaptando-se a qualquer projeto e acomodando tudo o que você precisa seja na cozinha de sua casa ou no cantinho do café do escritório.



Além disso, as peças ficam sobre 4 pés que permitem regular a altura e facilitam muito a limpeza. E o charme fica por conta das portas do armário e gavetas projetados de modo a parecer um rostinho simpático e risonho. Desta forma, você começa o dia sempre de bom humor.









0


A artista plástica Cat Macleod e o arquiteto Michael Bellemo fundaram em 1998 a Bellemo & Cat, um escritório de design em Melbourne (Aus) que faz experimentações misturando os conceitos de escultura aos projetos arquitetônicos, criando abordagens pragmáticas ao desenho urbano.

Um bom exemplo do trabalho da dupla é a casa container batizada Polygreen, feita para viver, morar e trabalhar. A casa abriga o escritório do casal, acomodações para duas crianças, estacionamento externo e uma varanda. 

Apesar de ter apenas 2 andares a casa se divide em vários níveis, aumentando a sensação de espaço, interligados por escadas que assumem diversos papéis no uso diário, principalmente para as crianças.

Misturando os mais variados tipos de acabamentos, sobretudo a madeira, o aço e o vidro, a casa tem uma impressionante comunicação e relação com a paisagem urbana e, em seu interior, utiliza a tecnologia gráfica para criar interessantes jardins impressos.














0

Labels